segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Sr D meu amor

Conheci meu amor em janeiro. O projeto terminou em 22 de janeiro.
Exatamente o dia do primeiro encontro. Mas não foi por isso que acabou. Eu estava desiludida. Havia tomado um super bolo no dia anterior. Tive um encontro muito ruim em que nem beijei o cara. Pra mim já era.
E meu pai foi internado. Voltei toda a minha atenção pra ele e minha casa, família, bichos. Não tive mais encontros.
Mas o Sr D continuou a eventualmente puxar papo. Ele tinha parecido muito novo e distante no primeiro encontro. Mas era ótimo conversar com ele.
Ele dizia que ia tomar um café comigo no hospital. Mas nunca foi. Podemos fazer isso ainda, rs.
Ele era tão legal que pra mim já era amigo.
Quando me beijou no terceiro encontro foi uma enorme surpresa. E eu queria logo transar pra saber como seria. Ele veio na minha casa, eu estava sozinha. O corpo dele era tão bonito. O pênis grosso. A boca carnuda. Todo gostoso.
Foi me levando a sério até pedir em namoro. Apenas um mês depois.
E portanto meu amor não conta no projeto não. Ele não tem nada a ver com isso. E também não causou o fim do projeto.

Recuperar o tesão

Mas na sexta foi mágico. Ele conversou comigo sobre as coisas que me incomodavam na relação. E ele ficou super gostoso de novo. Talvez até mais gostoso do que era.
Eu senti mudanças físicas. Ele parecia mais forte. Mais macio. Mais envolvente. Mais bonito. E fiquei com muito tesão.
Fomos para um motelzinho próximo. E foi muito tranquilo ir logo tirando as roupas e pulando na cama. Não fiquei com dúvidas.
Fiz algumas preliminares que ele tinha pedido. E indo ao principal ele estava muito excitado, rápido e forte. Arrumou uma posição para estimular o clitóris também com as mãos. Daí foi pouco tempo para eu gozar. Quando ele percebeu som de choro e lágrimas parou assustado. Demorei um pouco para conseguir dizer que estava gozando.
E antes disso teve muito prazer e muito gemido. Do jeito que a gente merece.

domingo, 20 de agosto de 2017

Perder o tesão

Eu não acreditava. Descobri que uma conversa bem conversada pode mudar os nossos sentimentos.
É verdade. Parece óbvio. Mas na prática ficava um sentimento de baixa eficácia do diálogo.
Descobri que quando ele fica dando a entender que não tem certeza do que quer, eu perco o tesão. Ele fica com raiva. Diz que eu não sirvo. Eu broxo.
Eu apenas havia perdido o tesão e não entendia o que estava acontecendo. Pensava vagamente que era uma imagem de desconfiança que ele passava.