terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Imaturidade

Como sempre reli postagens anteriores. Já estive tão lúcida...
Hoje foi um dia de acúmulo de muitas coisas difíceis.
Não sei se consigo fazer a separação entre mal estar físico e humor. Humor como inclinação para uma interpretação boa ou má do mesmo evento.
Isso é inegável. Se eu estivesse hipomaniaca, estaria super animada para viajar, mesmo sozinha. Ficaria satisfeita pela pequena melhora da depressão do meu pai. E ficaria empolgada de sair de um emprego e poder tentar qualquer outra coisa.
Ver que nada é bom ou mau em sua essência, é muito difícil.

Morte

Meu pai está de cama. Uma forte de crise de depressão e ansiedade.
A vizinha, uma idosa muito boa, morreu hoje.
Fui demitida de um dos empregos. O mais importante.
A princípio me senti forte. Depois fiquei repetindo totalmente fora de ordem uma reza. E por fim percebi que quero morrer.
Não tenho ninguém para viajar. Não tenho ninguém para sair. Não tenho ninguém com interesses semelhantes. Não tenho nada.
Há dias que venho tentando timidamente me destruir com biscoitos, doces e tudo que pudesse comer.
Acho que a medicação não está funcionando. Não funciona para grandes problemas.