domingo, 24 de janeiro de 2016

O Sr M1 - cinturinha deliciosa

O Sr M1 já havia se tornado um amigo quando me convidou para passar o fim de semana na casa de campo da família junto com uns amigos. Conversamos muitos dias. Ele apelava às vezes. Falava que tenho a personalidade masculina. Aliás tenho ouvido muito isso de vários caras e da psicóloga.
Eu fiquei ressabiada porque ainda não havíamos nos encontrado pessoalmente.
Mas ele se ofereceu até para me buscar. É nessas circunstâncias que a mulher pode observar o nível de interesse do homem. Quando ele te quer, faz de tudo para estar perto. Não devemos nos enganar com homens que se dizem "ocupados", sem tempo ou que dizem que estamos longe demais. .. Esse homem simplesmente não te quer.
Impressionante a semelhança física com Sr. R e Sr. L, respectivamente meu ex e o antigo dançarino. Ele foi muito carinhoso desde o primeiro minuto. Fiquei até assustada. Grandes olhos claros que misturavam azul e verde na extremidade e ainda um fino contrate mel ao redor da pupila. Um sedã conversível. Magro, mas com musculatura definida.
O sítio era lindo. A casa toda em madeira. Aconchegante e charmosa. O grupo de amigos, casais muito bem humorados e agradáveis.
O Sr. M1 estava muito excitado. Me levou para o outro lado da casa e na varanda me abraçou e ficou dando muitos beijos. Muitas insinuações. Eu não estava muito no clima.
Na hora de deitar, cheia de expectativa tomei banho e vesti uma camisola de renda vermelha matadora. Mas a dificuldade imposta pelas circunstâncias de pouca privacidade, devido à presença dos demais convidados na casa, me exasperou.
Quando me deitei estava irritável. Não conseguia relaxar. Quando ele partia para colocar a camisinha, eu sentia que não estava no ponto. E quando estava no ponto ele estava quieto ou recomeçando. Ficamos nesse impasse e ele estava quase desistindo. Temendo que ele desistisse e fosse dormir, me concentrei, me animei e deixei que ele partisse para os finalmentes.
Se eu narrasse em detalhes como foi, estaria mentindo e muito. Já foram tantas as vezes que não tenho como me lembrar de nenhuma com exatidão. O que posso dizer é que o formato dele era peculiar e talvez por isso provocava tantas sensações. O comprimento um pouquinho acima da média e a ponta bem mais larga que o corpo.
Muito controlado manteve a situação durante longo tempo contando com meu orgasmo, que não veio. Mas era tão bom, mas tão bom, que em certo sentido valia bem mais que um gozo.
De madrugada choveu e especulamos duas possibilidades: transar na chuva ou na piscina. Mas pelo frio ele não teve vontade.
No dia seguinte, eu nem acreditava nas minhas sensações. Olhava pra ele, sem camisa, o peito definido, a barriga reta - mas sem aqueles gomos de barata estranhos -  as costas em v e uma cinturinha! Mais fina que a minha. Que coisa mais sexy! Eu olhava e já ficava louca de vontade de chegar perto, pegar nele, voltar correndo para o quarto.
Foram dias maravilhosos. Depois disso estive na casa dele também. Fizemos todas as posições. E ele ainda adora chupar. Aguenta muito tempo em qualquer posição. Tem muita disposição. Um achado!
Mas não teve um bom fim. Começou a jogar indiretas sobre compromisso, eu desconversei e ele ficou com raiva. Ainda tentamos nos entender. Mas agora acabou.

Nenhum comentário: