sábado, 21 de novembro de 2015

Mulher mandona

A psicóloga perguntou: sua mãe manda no seu pai?
Tenta... Mas meu pai sempre grita: você não é minha mãe!
Ai eu me lembrei do lado dominadora que acaba entrando em ação diante de um homem difícil. Tentativa de assumir o controle.
Realmente. Meus relacionamentos sempre foram do tipo em que eu escolhia as programações. Eles deixavam... Não faziam questão de escolher.
Sou uma mulher mandona. Agora vou ter que reconhecer.
É só isso (tudo) que tenho que mudar?

Não sou religiosa. Mas uma coisa que percebi é que aqueles mandamentos divinos têm sempre um fundo de lógica. Tinha um que era sobre enterrar os mortos. Questão de higiene. Circuncisão: questão de saúde. Por aí vai.
Daí veja o texto sobre relacionamento desse blog:
http://googleweblight.com/?lite_url=http://www.sobrerelacionamento.com/2012/05/o-homem-precisa-ser-o-lider-do.html?m%3D1&ei=dc9Kc02R&lc=pt-BR&s=1&m=236&ts=1448101439&sig=ALL1Aj47vCsILcQhBbXIvVEmFfZ28iy8vg.

Então, o que há detrás de um homem difícil é um passivo?
Bem que esse visual que eu gosto lembra bem um filhinho da mamãe: cabelo certinho, óculos, sapato social.
Falei que eu devia já ter lido Foucault. Tudo termina nessa história de poder.

Nenhum comentário: