sábado, 4 de maio de 2013

Por causa de um frango

Esta semana me encontrei tentando fazer peito de frango assado no forno. Sabia que ele terminou comigo por causa de um frango que não ficou pronto a tempo? Terminou por causa de um frango. Juro. Foi o estopim.


Vai fazer um ano este mês, finalmente. E não é muito engraçado eu cismar justo agora de aprender a fazer frango? Será que eu penso que se aprender a fazer o frango direitinho não vão mais me abandonar? Engraçado e triste ao mesmo tempo. Patético, né.

Daí fiz esse frango essa semana. Horrível. Engraçado também que acabei fazendo ele no único dia da semana em que eu não podia errar no tempo. Não erro mais o tempo. Não perco mais tempo. Mas o tempero... De noite entrei no site da Ana Maria Braga e anotei o passo a passo de uma receita de frango assado. Juro que ainda faço um frango bom, não basta ficar pronto na hora certa. Questão de honra.

Que medo de viver situações semelhantes. Tenho muito medo. Antes de começar a escrever não tinha me dado conta dessa ligação entre os frangos.

Comecei a pensar nisso porque marquei com meu namorado um fim de semana romântico. E há dois dias estou estranha. Sonhos estranhos, pesadelos, inquietação e hoje, véspera, ansiedade mesmo. Ontem estava pensando em desculpas para não irmos. Inventando problemas. Perdi o entusiasmo de fazer a mala.

Custei a entender. E então lembrei dos fins de semana “românticos” que tive com o ex. Todos um desastre. Sinto mal estar quando lembro. O frango foi o estopim, mas os principais motivos eram esses fins de semana.

Acho que até esse fim de semana que marquei foi por causa do passado. Uma necessidade de refazer as coisas, de ver dar certo? Provar pra mim que posso ser feliz?

Eu gosto de frango e gosto de fins de semana românticos. Não posso deixar um trauma estragar essas coisas boas. O que posso (mais) fazer para poder esquecer? Já tenho um novo amor.

Se nosso fim de semana for horrível ele vai querer me deixar? O amor é novo, mas os medos são antigos...

Será mesmo que um frango ou um final de semana podem determinar nosso destino? Somos tão miseráveis assim?

Nenhum comentário: