quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O segredo


Já sei por que ele me mata de tesão... Lembrei da minha teoria do homem reservado. Ele é exemplo: sério e discreto. São tantas brincadeiras e bobagens minhas que ele leva a sério. Isso só me faz rir mais, rs. E como ele é cheio de não me toques... em público ele praticamente só dá selinho, fica me contendo. É claro que isso me deixa louca.
Romântico, segura minha mão o tempo todo. Também é um pouco tímido, ficou surpreso em se sentir tão à vontade comigo. Teimoso, senhor de si, adora argumentar até me deixar nervosa, rs. E como ele é difícil, complicado. Ai, mas por que eu gosto desse tipo de homem? Ele parece uma mistura de todos os homens complicados que já dissequei...
Que engraçado! O editor de texto está marcando em verde o vocábulo tesão. Ele acha que devo usar "excitação" e explica: "Uso de Plebeísmos: tesão pode ser considerado um caso de plebeísmo. Evite o uso de gírias e palavras de baixo calão em seu texto". Que coisa broxante. Esse corretor acabou com meu tesão.
Sei que nunca tive um encontro maravilhoso assim. É tão absurdo a gente ficar separado. Na verdade é um namoro de muita qualidade. Porque se nos vemos quinzenalmente, compensamos isso ficando o fim de semana totalmente juntos. Muito melhor que meus relacionamentos anteriores. Além do mais, o tempo é relativo e sempre insuficiente para se estar com a pessoa amada.
Confesso que estou decepcionada com minha carreira de ... qual era o plano mesmo? Ter seis amantes? Sete? Um para cada dia da semana. Ou era pegar todo mundo? Ou era esquecer meu ex que me traiu? Já não sei mais, me perdi pelo caminho. Eu sei que quando estou com ele tudo faz mais sentido.
Sei lá, sou uma pessoa tão difícil de agradar, para certas coisas. Por exemplo, a quantidade de blogs que leio sempre, são só quatro os que realmente gosto. Há meses não encontro um romance que me prenda. Às vezes quero ver um filme e começo uns quatro até encontrar um que queira ver naquele momento.
De acordo com o novo parâmetro de prazer que meu amor me ajudou a formular, foram pouquíssimas as vezes que não gozei. Ele me convenceu que existe mais de um tipo de orgasmo. E no final das contas eu estava por aí tendo orgasmos com esses amantes, mas o que isso significava? Eles eram legais, engraçados, atraentes. Mas no final das contas existe mesmo essa tal de química. Não é frescura, eu apenas nunca havia conhecido alguém que tivesse a ver comigo. Que dó, eu colocando a culpa nos rapazes todos, os chamando de ruins de cama e no final das contas era só falta de química.
O que os outros caras demoram umas duas horas de preliminares, ele me faz sentir com apenas com uma frase, um olhar, um suspiro ou um único toque. Ele é tão sensível. Já conversávamos tanto antes, mas agora ele ainda me fala umas coisas tão francas. Se eu pelo menos imaginasse que isso tudo existia teria ficado sozinha esperando aparecer alguém assim na minha vida.



Nenhum comentário: