segunda-feira, 23 de maio de 2011

Cuidado com o que você deseja

O que se deseja na verdade nem se sabe bem o que é. Ai, é tanta ilusão.
Eu não podia fazer idéia de como dá trabalho ter um Homem Sério. Dá muito mais dor de cabeça do que homem bonito, homem mais novo ou homem comprometido. Estou quase pedindo pra sair.
Essa semana eu só chorei. Ele é irredutível com tudo. Duro. 100% duro. Nada do que eu faço, por bem ou por mal, faz com que ele se dobre, ou no máximo me dê uma colher de chá.
E eu estou apaixonada. Mulher apaixonada fica Tão burra. Faz tudo errado.
Preciso contratar um advogado para me representar nas nossas DR's urgentemente. Meu negócio é língua escrita, não falada. Ele consegue me convencer, não em dois tempos, mas em alguns dias... de que eu é que estou errada. Dá para acreditar?
O pior não é isso! O pior é ainda olhar para a cara dele depois de tudo e ficar morrendo de vontade de beijar aquela boca. Parece que me fizeram um feitiço.

"Seu nome na boca do sapo/ Sua boca na minha/ O resto é boi dormindo em história errada de carochinha..." Céu

Agora eu posso dizer como o Graça dizia à sua amada: " Amo-te com ternura, com saudade, com indignação e com ódio". (Cartas de amor à Heloísa)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Dos blogues que leio...

Nossa, entrei aqui só para ler, não estava querendo escrever nada. E que situação encontro... A Fernanda do "Ninguém lê essa porcaria" diz que está abandonando o blog. O Pacheco do "Profissão Leitor" fazendo chantagem emocional. O "Búfalo filhote" sumiu há dois meses. Só a "Lina Gatolina" continua postando as fotos lindas dos gatinhos que eu adoro.
É, o mundo anda meio mal.
Deu vontade de fazer meu twitter para seguir a Fernanda. Mas twitter parece tanto ser uma coisa besta. E deu vontade de ter facebook para curtir o livro do Pacheco. Mas facebook também parece uma bobagem... Confesso que dá preguiça.
Já basta esse blog que não sei mais o que fazer com ele. Talvez eu esteja mais pra lá do que pra cá.

quinta-feira, 31 de março de 2011

“O problema é que eu te amo...

... não tenho dúvidas que com você daria certo, juntos faríamos tantos planos, com você o meu mundo estaria completo..." (Cássia Eller).

Hoje toda a tristeza veio à tona. Não pude mais segurar. Eu não estava me dando conta de que ficar longe dele dói tanto. É como diz o Zeca Baleiro: "A saudade é um trem de metrô, subterrâneo, obscuro, escuro, claro, é um trem de metrô... A saudade é um filme sem cor, que meu coração quer ver colorido...".
Essas coisas vêm à consciência muito repentinamente, através de uma foto, uma música ou uma frase ouvida ao telefone. E logo não se pode mais estar tranqüilo.
Não quero que ninguém me veja assim. Talvez por isso tenha corrido pra cá. Confessar minhas fraquezas.
Não é fácil. Tantas canções sobre esse tema.
Sou forte? O quanto? "Num dia triste, toda fragilidade incide, e o pensamento lá em você..." (Djavan).

Se o pagamento já tivesse saído correria para o aeroporto amanhã. Ao invés disso vou beber. Beber para esquecer, ainda não inventaram nada melhor.
Amar é simplesmente horrível. O amor é uma fruta espinhenta, venenosa e doce.
Acho tão inacreditável que tudo isso tenha acontecido sem minha permissão.
Só posso chorar.



Saudade (Almeida Júnior)
 
"Quando bate um coração
Tudo pode acontecer
A razão manda soltar
E a paixão manda prender
O ciúme quer matar
A saudade quer doer
A cabeça quer pensar
Mas o amor só quer você." (Rastapé)

segunda-feira, 14 de março de 2011

A não-existência

Uma citação para um dia nublado:

"A substância do famoso monólogo de Hamlet é esta: A nossa condição é tão miserável que o não-ser absuluto lhe é preferível. Se o suicídio efetivamente nos trouxesse o aniquilamento, de modo que a alternativa Ser ou não ser realmente existisse em toda a extensão da palavra, então conviria recorrer a ele infalivelmente, como à mais desejável solução"

(Arthur Schopenhauer em O Mundo Como Vontade e Representação)

Sempre pensei que morrer era o não-ser mais nada.

Ser qualquer coisa é melhor que o não-ser. Não está em mim me deixar levar pelo pessimismo. Não consigo. Sou um animalzinho treinado para sorrir. Apaixonada então...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Como sempre, o amor

Gente, o carnaval está chegando!
Pela primeira vez vou passar com ele mais que um fim de semana.
Viagens. Elas nos modificam, não é? Estimulam coisas que nós nem sabíamos que existiam em nós.
Assisti agora, confesso que só hoje assisti Diários de Motocicleta. Que viagem louca.

Sabe o que é gostar muito de uma pessoa, como estar apaixonado, mas ao mesmo tempo ter conciência dos defeitos dela? Defeitos que talvez eu nem tolere muito bem. Mas sim, estou gostando muito dele. Não me interessaria transar com outro. Nesse momento de minha vida o sexo é como uma sobremesa que não provo há muitos dias, precisamente 13 dias, até que não é muito, rs. Mas não é uma necessidade ou uma oportunidade de fuga para a dor.
Com ele posso ter uma paciência infinita. Por ele posso ser uma pessoa boa, tolerante, compreensiva. Talvez possa perdoar muitas coisas. Não sei porquê, mas posso. Com ele não me sentirei uma pessoa ruim.
E junto disso tudo, penso nele muito mais como um amigo. Não consigo vê-lo muito como um amante ou namorado. Ele me parece acima de tudo um amigo.




Tropecei nesse amor a essa altura do caminho. Talvez eu não esperasse encontrar mais nada de bom no mundo dos relacionamentos sérios. Isso me lembra outro filme que vi esses dias O despertar de uma paixão. Trata da história de uma mulher que se casa sem amor e que demora muito para amar seu marido. E quando ela está amando-o, ele adoece e morre. Eles aproveitam tão pouco aquele amor.


Por Você


Eu dançaria tango no teto

Eu limparia

Os trilhos do metrô

Eu iria a pé

Do Rio à Salvador...



Eu aceitaria

A vida como ela é

Viajaria a prazo

Pro inferno

Eu tomaria banho gelado

No inverno...



Por Você!

Eu deixaria de beber

Por Você!

Eu ficaria rico num mês

Eu dormiria de meia

Prá virar burguês...



Eu mudaria

Até o meu nome

Eu viveria

Em greve de fome

Desejaria todo o dia

A mesma mulher...



Por Você! Por Você!

Por Você! Por Você!



Por Você!

Conseguiria até ficar alegre

Pintaria todo o céu

De vermelho

Eu teria mais herdeiros

Que um coelho..



Eu aceitaria

A vida como ela é

Viajaria à prazo

Pro inferno

Eu tomaria banho gelado

No inverno...

(Por você: Barão Vermelho / Composição: Roberto Frejat / Guto Goffi / Mauro Santa Cecília)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Fim de caso

Sabe aquele cara mais velho, que não posso mais definir simplesmente como mais velho porque o meu amor tem a mesma idade? Vamos chamá-lo de Cara Errado. E tem também meus outros "amiguinhos", o Novinho e o meu parceiro de dança, o "Tímido".

Bem, após me envolver com meu amor de longe, tive que abrir mão dessas companhias. O primeiro que me ligou foi o Novinho. E por telefone mesmo consegui me resolver com ele. Ele é ótimo, não me causou nenhum constrangimento, sempre foi tão compreensivo.

Depois me procurou o Tímido. Achei que não faria mal encontrá-lo pessoalmente, já que ele não é de nada mesmo. Foi aí que ele me pegou de surpresa falando em namoro. Eu desconversei, mas não disse que não sairíamos mais. Fiquei implicada com aquilo. E depois me dei mal, porque não conseguindo falar pessoalmente, nem por telefone, cometi a enorme desonra de encerrar o caso por mensagem no celular. A que ponto cheguei.

Tendo sumido o Cara Errado, não havia porque lhe procurar para dizer: não me procure mais. Mas ele reapareceu e disse que conversar. Não levei muito a sério. Mas do nada, ele resolveu marcar essa conversa. E como foi duro esclarecer tudo. Fiquei emocionalmente exausta.

Ele me abraçou e senti vontade de chorar. Como um estranhamento, nada do calor bom que o corpo dele tinha antes. Vi que não gostava mais dele, que a perda era irreversível.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

... dias apaixonada


Não sou muito chegada a música sertaneja, mas essa ultimamente eu acho fofa:

60 Dias Apaixonado
(Victor e Leo/gravaram, mas se é deles...)
Viajando pra Mato Grosso, Aparecida do Taboado
Conheci uma morena, que me deixou amarrado
Deixei a linda pequena, por Deus confesso, desconsolado
Mudei o jeito de ser, bebendo pra esquecer 60 dias apaixonado.
Dois meses juntinho dela eternamente serão lembrados
Pedaços da minha vida, lembranças do meu passado
Jamais será esquecida a imagem dela de um anjo amado
Dois meses passaram logo, é no copo que eu afogo 60 dias apaixonado
Se alguém fala em Mato Grosso eu sinto o peito despedaçado
O pranto rola depressa no meu rosto já cansado
Jamais eu esquecerei Aparecida do Taboado
Deixei a minha querida, deixei minha própria vida 60 dias apaixonado



www.fotolog.com/martacayolla/59897128

Na verdade tenho ouvido muitas músicas que antes não faziam sentido e que agora dizem tudo que deve ser dito. Estou descobrindo cada coisa.
É como nessa música dos Beatles, a qual segue a tradução do Terra, porque se existe uma grosseria que eu não tolero são citações sem tradução, como muito literato besta faz, só para "aparecer" com as "linguinhas" que ele "domina" no doutorado. :-P

Till There Was You
There were bells on a hill
But I never heard them ringing
No I never heard them at all
'Til there was you
There were birds in the sky
But I never saw them winging
No I never saw them at all
'Til there was you
Then there was music and wonderful roses
They tell me in sweet fragrant meadows of dawn and you
There was love all around
But I never heard it singing
No I never heard it at all
'Til there was you
Then there was music and wonderful roses
They tell me in sweet fragrant meadows of dawn and you
There was love all around
But I never heard it singing
No I never heard it at all
'Til there was you
'Til there was you

Até Que Você Apareceu
Havia sinos em um monte
Mas eu nunca os ouvi badalar
Não eu nunca os ouvi...
Até que você apareceu
Havia pássaros no céu
Mas eu nunca os vi voando
Não, eu nunca os vi
Até que você apareceu
Então houve música e lindas rosas,
Que eles me disseram em doces e cheirosos brejos da alvorada e você...
Havia amor, em volta de tudo
Mas eu nunca o ouvi cantando
Não eu nunca o ouvi
Até que você apareceu
Então houve música e lindas rosas,
Que eles me disseram em doces e cheirosos brejos da alvorada e você...
Havia amor, em volta de tudo
Mas eu nunca o ouvi cantando
Não eu nunca o ouvi
Até que você apareceu
Até que você apareceu...


Enfim, há uma série de coisas que só posso perceber porque ele apareceu.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O segredo


Já sei por que ele me mata de tesão... Lembrei da minha teoria do homem reservado. Ele é exemplo: sério e discreto. São tantas brincadeiras e bobagens minhas que ele leva a sério. Isso só me faz rir mais, rs. E como ele é cheio de não me toques... em público ele praticamente só dá selinho, fica me contendo. É claro que isso me deixa louca.
Romântico, segura minha mão o tempo todo. Também é um pouco tímido, ficou surpreso em se sentir tão à vontade comigo. Teimoso, senhor de si, adora argumentar até me deixar nervosa, rs. E como ele é difícil, complicado. Ai, mas por que eu gosto desse tipo de homem? Ele parece uma mistura de todos os homens complicados que já dissequei...
Que engraçado! O editor de texto está marcando em verde o vocábulo tesão. Ele acha que devo usar "excitação" e explica: "Uso de Plebeísmos: tesão pode ser considerado um caso de plebeísmo. Evite o uso de gírias e palavras de baixo calão em seu texto". Que coisa broxante. Esse corretor acabou com meu tesão.
Sei que nunca tive um encontro maravilhoso assim. É tão absurdo a gente ficar separado. Na verdade é um namoro de muita qualidade. Porque se nos vemos quinzenalmente, compensamos isso ficando o fim de semana totalmente juntos. Muito melhor que meus relacionamentos anteriores. Além do mais, o tempo é relativo e sempre insuficiente para se estar com a pessoa amada.
Confesso que estou decepcionada com minha carreira de ... qual era o plano mesmo? Ter seis amantes? Sete? Um para cada dia da semana. Ou era pegar todo mundo? Ou era esquecer meu ex que me traiu? Já não sei mais, me perdi pelo caminho. Eu sei que quando estou com ele tudo faz mais sentido.
Sei lá, sou uma pessoa tão difícil de agradar, para certas coisas. Por exemplo, a quantidade de blogs que leio sempre, são só quatro os que realmente gosto. Há meses não encontro um romance que me prenda. Às vezes quero ver um filme e começo uns quatro até encontrar um que queira ver naquele momento.
De acordo com o novo parâmetro de prazer que meu amor me ajudou a formular, foram pouquíssimas as vezes que não gozei. Ele me convenceu que existe mais de um tipo de orgasmo. E no final das contas eu estava por aí tendo orgasmos com esses amantes, mas o que isso significava? Eles eram legais, engraçados, atraentes. Mas no final das contas existe mesmo essa tal de química. Não é frescura, eu apenas nunca havia conhecido alguém que tivesse a ver comigo. Que dó, eu colocando a culpa nos rapazes todos, os chamando de ruins de cama e no final das contas era só falta de química.
O que os outros caras demoram umas duas horas de preliminares, ele me faz sentir com apenas com uma frase, um olhar, um suspiro ou um único toque. Ele é tão sensível. Já conversávamos tanto antes, mas agora ele ainda me fala umas coisas tão francas. Se eu pelo menos imaginasse que isso tudo existia teria ficado sozinha esperando aparecer alguém assim na minha vida.



quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Muita calma nessa hora


2011
Segunda semana...
Acho que sem muita pretensão esse ano vou fazer várias coisas que nunca fiz ou que já adiei demais. Comecei por ir viajar e de quebra conhecer um amigo virtual de anos... bem longe daqui. Que pessoa interessante... Ele é bem melhor que qualquer homem que já conheci ou imaginei.

Terceira semana...
Agora já não sei mais o que será da minha vida. Não pretendia gostar de ninguém e estava convertida aos relacionamentos abertos. Mas ele é muito mais que um amigo agora. Estou desnorteada, comprando sapatos compulsivamente, bebendo dia de semana. Ele está tão longe e eu estou tão entregue. É tão impressionante a atração que ele exerce sobre mim. Só de ele apertar minha mão já fico excitada. Nunca me senti tão vulnerável assim com ninguém.

Quarta semana...
Nossa, que soco no estômago. Há muito que não vinha aqui. Não lembrava mais do meu último post. Agora eu sei de quem eu gosto e ele está TÃO longe. Ele veio me ver essa semana. Bom, dessa vez estou mais controlada. Mas não tenho o que dizer, acho que estou "amando loucamente". Tudo que eu escrever será inútil. Estou apenas tentando manter a cabeça fria.
E ele ainda resolveu todos os meus problemas sexuais. Tanto os problemas psicológicos, quanto os meramente físicos. Ele é maravilhoso.
E eu nem contei o que aconteceu quando fui pegar o ônibus para encontrar com meu amor aqui (quando vou ver ele lá só é de avião mesmo). No dia o tal cara que me enrolava me chamou para ir ao cinema e eu disse que iria para a capital logo após o trabalho. Quando chego à rodoviária, lá estava ele tomando chop. Disse que o chop de lá era o melhor da cidade. Dá para acreditar? Parece que foi conferir para onde eu iria, se iria mesmo e com quem. Essa semana ele ligou e me passou o telefone do trabalho dele, como se eu fosse precisar. Ele me quer, mas não o suficiente.
Adorei um filme nacional que estava no cinema há pouco: Muita calma nessa hora. Acho que é isso que preciso, muita calma. Um filme tão engraçado, que fala sobre coisas bacanas como amizade, sexo, viagem, curtição, superação... Aparentemente é um besteirol, mas é de certa forma sublime.
Tive umas idéias para o projeto de mestrado.
O pau está quebrando lá fora, mas estou feliz.