quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Metalinguagem

Percebi um ato falho nesse blog esses dias. Já mudei o título umas três vezes. Esse último, Literatura e Confissão, me deixou muito satisfeita. É perfeito, porque são exatamente os dois temas que mais pretendo escrever aqui. Contudo, esse título me parecia familiar. Mas pensava que não podia tê-lo visto em outro lugar, eu o inventei, já que pretendo escrever sobre literatura, minha paixão e confessar coisas íntimas. O título é só idéia minha, pensava.

Então, me lembrei de um livro Ficção e Confissão, de Antonio Candido. Justamente de Teoria e Crítica literária e sobre quem? Um dos meus autores preferidos, Graciliano Ramos. Nesse livro, Candido analisa toda a obra de Graciliano. De modo geral ele conclui se tratar de uma obra que começou na ficção e foi cada fez mais se aproximando da autobiografia, da confissão. Foi um livro básico na minha formação.

O inconsciente sempre nos surpreende, não é mesmo? Como pude esquecer? É como se eu nunca deixasse de pensar no velho Graça e na teoria, ao planejar um blog sobre literatura. Ao descobrir esse ato falho fiquei mais satisfeita ainda com meu título.

Antonio Candido e capa do livro:

Nenhum comentário: