segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Sonho constrangedor

Essa semana tive um sonho muito inquietante. Sonhei que o Sr. L tinha três pretendentes: eu, minha amiga Srta. J e uma desconhecida delicada. E ele me escolhe, fico muito contente, tiramos fotos, nos abraçamos. O Sr. L é alguém por quem senti uma queda mas com quem não tive nada. Ele me jogava diversas cantadinhas em forma de brincadeira ou indiretas picantes bem humoradas. E eu ria. Era só isso. Acontece que esse sonho parece estar relacionado a um sentimento mais antigo, lá na infância, de preterimento. Na verdade a posição que o Sr. L ocupa no sonho poderia ser ocupada por qualquer pessoa que eu gostasse e de quem eu gostaria de ser a preferida. Está relacionado ao Sr. Garotinho da minha infância, que me preteriu por duas amigas. Está relacionado ao Sr. Tenho namorada que largou a namorada para ficar comigo e depois voltou pra ela. Está relacionado ao Prof. G de quem eu gostaria de ser a preferida. Está relacionado às amigas que me preteriram a outras. E talvez até aos meus pais, que a gente sempre tem a sensação de que eles preferem um de nossos irmãos que não a gente, não é? É um sentimento muito ruim, comum e arraigadamente infantil. De quem a mamãe gosta mais? Deve ser uma pergunta corriqueira da infância. É difícil escrever sobre isso. Porque também é um sentimento que parece ser muito errado, algo do qual eu deveria me envergonhar. Mas acho que já chega de recalque, já que veio à tona... Pois é, e recentemente é como se eu tivesse vivido essa situação pela milionésima vez. O tal Sr. L do sonho, que está solteiro no momento, teria confessado à um amigo em comum que está gostando de nossa amiga com namoro em crise. Mesmo namorando e não tendo nada com ele é como se eu tivesse sido preterida novamente. Claro que não comentei nada disso com eles, não poderia nem me sentir assim, tenho namorado, que aliás, é muito mais bonito e legal que o Sr. L. Mas não dá pra escolher o que se vai sentir! Ah, é uma história tão confusa, eu teria que contar os detalhes desde o início de como conheci esse grupo de amigos e a forma negativa como nossa amiga escolhida reagia às cantadinhas que o Sr. L me passava. E a Srta. J do sonho é outra amiga que em vários momentos me preteriu. Vingança? A verdade é que tudo pode ser resumido numa necessidade infantil de ser a preferida. (Ou namoradinha do papai).

Nenhum comentário: