sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Sr D - homem fruta / O aprendizado ou o livro dos prazeres

Estamos juntos há oito meses.  Aprendi muita coisa. Inclusive sobre sexo.
Aprendi que sexo oral é bom.
Aprendi a fazer, e o mais importante, receber sexo oral. Porque eu não gostava.
Aprendi que até os homens mais legais são machistas. Reencarnações de Sartre não se encontram por aí.
Aprendi que aquela música chata que meu pai gosta, sobre Jesus carregando um cara, é verdade. Nos momentos em que parece que Deus te abandonou, na verdade ele está cuidando de você. Por isso só há pegadas de uma pessoa no caminho.
Aprendi novamente que uma viagem é muito mais que um lazer. Que ela proporciona aprendizado inconsciente. Uma compreensão súbita de problemas emocionais e existenciais. E não precisa ser um retiro espiritual não. É qualquer tempo longe da sua realidade, vida, rotina.
Viagem é artigo de primeira necessidade. E repito. Não precisa ser um roteiro elaborado. Não precisa ser um intercâmbio na Europa. É só ir para um contexto diferente da sua vida. Saia da sua vida ao menos um final de semana.
Claro que se for um intercâmbio o efeito é maximizado né. Sr. D por exemplo, fez intercâmbio na China. E sempre pensei que essa era a razão do amadurecimento dele. Porque ele é 5 anos mais novo que eu. Como namorar um cara mais novo que você? Só se for um homem que amadureceu mais rápido.
Digamos que é um homem fruta que recebeu um agente catalisador para acelerar o processo de amadurecimento.
Aprendi porque Miss Poppins chega nas casas com sua própria xícara. Ninguém está nem aí para xícaras. Todo mundo toma café em copo tipo padaria. A correria da vida deixa as pessoas insensíveis à beleza e até ao próprio conforto.
O capitalismo cria tantas necessidades desnecessárias que as pessoas as pessoas não sabem mais o que precisam.
Precisamos de Deus. De sexo. De viajar. E uma boa xícara.